Sobre

Um dia eu me dei conta que não sabia nada da vida das minhas avós.

Sabia que a vida delas não tinha sido fácil, mas não sabia detalhe nenhum.  Fazia menos de um ano que eu havia mudado de cidade e não via minhas avós com tanta frequência, então pedi aos meus pais que conversassem com elas e anotassem os detalhes.

A primeira foi minha bisavó, Doralice. Quando recebi o e-mail dos meus pais com as anotações levei um tempo para processar tudo aquilo. Eram muitos fatos, muitas batalhas, muitas informações.

Eu, que sempre li histórias de grandes mulheres e defendia a importância de darmos visibilidade à essas narrativas, descobri que uma das mulheres com a história de vida mais fantástica que já vi, estava do meu lado esse tempo todo. Vivendo uma história invisível para sua própria família.

Depois de um bom tempo de conversa sobre a vida, meus pais avisaram que eu que estava perguntando sobre tudo aquilo, porque queria escrever sobre ela. E aí ela chorou. Chorou porque achava que a família se envergonhava de sua história.

Um absurdo que ela, com seus 87 anos, pensasse isso.
Culpa minha, culpa nossa.

Ela foi avisada naquele dia do quanto nos orgulhava, mas deveria ter sido avisada muito antes.

Escrevi sua história de forma resumida dois dias antes de seu falecimento, publiquei no Facebook. A repercussão foi muito maior que o esperado e recebi uma série de mensagens me falando basicamente a mesma coisa: eu nunca soube a história da minha vó.

Foi assim que surgiu a ideia de montar o “A história da minha vó”, para que possamos reunir e compartilhar histórias incríveis de mulheres incríveis. Está mais do que na hora das mulheres saberem que suas histórias podem ser inspiradoras.

Precisamos ler mais histórias de mulheres fantásticas!

Que tal enviar a história da sua vó? Ou da sua mãe, sua tia ou sua mesmo!

Mande um e-mail contando tudo e colocando junto uma foto* para ser publicada aqui, você pode também escolher se identificar e mandar o link para uma rede social sua, que será indicada no texto.

ahistoriadaminhavo@hotmail.com

*se você não tiver uma foto da mulher de quem você está contando a história pode mandar uma foto que te faça lembrar dela, alguma imagem de lugar ou objeto que faz a memória viajar pra vida dela, é preciso que faça sentido pra você, e aí fará sentido para todos nós!

Anúncios